domingo, 1 de julho de 2018

Alceu Valença

(São Bento do Una, Pernambuco, 1 de julho de 1946)


No Festival Internacional da Canção de 1969 ele foi muito aplaudido no Maracanãzinho, que estava lotado. A música era 'Acalanto para Isabela', a primeira gravação da carreira, uma espécie de canção de ninar composta em homenagem à filha de um amigo. Mesmo ovacionado, não saiu vitorioso. Conseguiu, porém, que sua foto estampasse alguns jornais cariocas. Depois disso, começou a compor músicas genuinamente nordestinas. Os tropicalistas já tinham fundido o baião com as guitarras, Alceu entretanto foi mais fundo, se embolou com os negros maracatus de Pernambuco, bebeu na fonte dos pífanos, rabecas e pandeiros, cozinhou tudo na panela do rock e o resultado é uma obra atemporal, de qualidade. E foi como conquistou o sucesso, finalmente. 

Os louros viriam em 1975, no Festival da Nova Música da TV Globo, quando Alceu teve o nome revelado ao Brasil entoando 'Vou Danado pra Catende'. Dali em diante, o menino desengonçado de São Bento do Una era consagrado como expoente vivo da música popular brasileira. É evidente que o tempo ajudou a maturar um Alceu Valença excêntrico. Os rompantes produtivos de Alceu Valença vagam entre surtos e obsessões. Os da primeira espécie rendem algumas obras primas. Os da segunda são marcados pelo seu retorno incansável aos embriões da própria arte revisitados dezenas de vezes. 'Anunciação' composta de forma despretensiosa, enquanto o músico solfejava sua flauta e percorria os arredores da casa em Olinda, nasceu de repente. 

Do DVD 'Valencianas' gravado ao vivo no Grande Teato do Palácio das Artes, em Belo Horizonte/MG em novembro de 2012. Esse DVD de Alceu, faz uma releitura da carreira do cantor e compositor pernambucano, dessa vez acompanhado de uma orquestra sinfônica, a Orquestra Ouro Preto regida pelo maestro Rodrigo Toffolo.

Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto - Anunciação



Alceu Valença - Girassol (2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário