domingo, 10 de junho de 2018

João Gilberto

(Juazeiro, Bahia, 10 de junho de 1931)


Ao se falar sobre a bossa nova, o primeiro nome a vir é o de Antonio Carlos Jobim que praticamente definiu o padrão para a criação da bossa nova. E se Jobim recebe o crédito por construir os fundamentos da bossa nova, o gênero foi brilhantemente reinventado e, sem dúvida, definido por João Gilberto, o mito, um apelido merecido. Ainda na adolescência João já absorvia a sutileza rítmica das canções brasileiras e também os ricos sons do jazz de Duke Ellington e Tommy Dorsey. Com o seu primeiro disco, 'Chega de Saudade' (1959), Gilberto se tornou amplamente conhecido como o homem que fez a bossa nova ser o que é. Nos EUA gravou alguns registros surpreendentes, trabalhando com o saxofonista Stan Getz e gravando compositores como Dorival Caymmi e Ary Barroso. Fiel à sua imagem enigmática e excêntrica, Gilberto vive recluso, mas seguro no conhecimento de que, décadas atrás, ele mudou o curso da cultura brasileira, fazendo da bossa nova a sua música, bem como a música do Brasil. João Gilberto é, sem dúvida, 'o x do problema', como disse Caetano Veloso, da modernização da canção popular brasileira. 

Do álbum 'O Amor, o Sorriso e a Flor' (1960)

João Gilberto - Se é Tarde me Perdoa

Nenhum comentário:

Postar um comentário