domingo, 10 de junho de 2018

Howlin' Wolf

(White Station, Mississippi, 10 de junho de 1910)



Howlin' Wolf foi provavelmente o mais vigoroso intérprete na história do blues moderno. Um homem ameaçador, com seus mais de 1,80m de altura e quase 150 Kg de peso, Wolf dava novo significado ao blues toda vez que se apresentava, com suas bravatas e comicidade, e sua absoluta intensidade física. Foi apelidado, ainda criança, de ‘Lobo Uivador’, talvez por seu comportamento endiabrado. Ele teve contato com o blues muito cedo, suas influências incluem Charlie Patton com quem aprendeu a tocar guitarra e a gaita com Rice Miller (Sonny Boy Williamson II), que era seu cunhado. Nascido no Mississippi, Wolf passou os primeiros 40 anos de sua vida conciliando a vida de agricultor com a de bluesman, tocando violão e gaita. Depois de servir ao Exército durante a Segunda Grande Guerra, ele se mudou para Memphis, Arkansas, um centro musical do sul dos Estados Unidos, onde conseguiu patrocínio para um programa na estação de rádio local. 

Howlin’ Wolf gravou pela primeira vez em 1951, dois anos depois foi para Chicago onde sua carreira decolou. Em Chicago passou o resto de sua vida, crescendo em popularidade até ser considerado um dos maiores do blues. Também foi em Chicago que encontrou seu maior concorrente, Muddy Waters. Devido às músicas do grande baixista Willie Dixon aconteceu uma disputa pelo cetro do blues entre Wolf e Muddy, permanecendo entre eles durante os anos de 60 e 70. Em 1968, a ‘Chess Records’ fez uma tentativa de modernizar a música de Howlin' Wolf e Muddy Waters, convencendo-os a gravarem com arranjos psicodélicos, inspirados em Jimi Hendrix, o que resultou nos álbuns ‘Electric Mud’ e ‘The Howlin' Wolf Álbum’ respectivamente. Howlin' Wolf reprovou a experiência, sendo a sua insatisfação retratada pelos irmãos Chess na capa do álbum.

Mesmo assim, Howlin' Wolf estreitou laços com o rock, gravando outro álbum, o ‘The London Howlin' Wolf Sessions’, em 1969. Junto com seu fiel guitarrista, Hubert Sumlin, Wolf liderou, durante esse período uma banda formada na maior parte do tempo por Eric Clapton, Steve Winwood, Bill Wyman e Charlie Watts. A capa do disco mostra o próprio Wolf, Clapton e Watts sentados na ‘Piccadilly Circus’, cartão-postal londrino. No final da década, a saúde de Wolf começou a falhar. Mesmo assim, ele chegou a fazer um segundo disco na Inglaterra, ao lado de Muddy Waters. O álbum ‘Back Door Wolf’ gravado em 1973, foi o último do bluesman. Na música ‘Coon on the Moon’ Wolf faz uma predição do futuro: ‘you gonna wake up one morning, and a coon’s gonna be the President’ (você irá acordar em uma manhã, e um negro será o presidente). ‘Coon’ é um insulto dirigido aos negros. Sua última apresentação foi em Chicago, com B.B. King, em novembro de 1975. Chester Howlin’ Wolf Burnett faleceu dois meses depois. 

Howlin Wolf na turnê American Folk Blues Festival que excursionou pela Europa em 1964

Willie Dixon - baixo
Hubert Sumlin - guitarra

Howlin Wolf - Smokestack Lightning


Com Forrest City Highway Band, 1966

Hubert Sumlin - guitarra
Andrew McMahon - baixo
S.P. Leary - bateria
Sam Jones - sax

Howlin' Wolf - Dust My Broom

Nenhum comentário:

Postar um comentário