domingo, 15 de abril de 2018

Bessie Smith

(Chattanooga, Tennessee, 15 de abril de 1894)


Mesmo nos primeiros registros fonográficos de 1923, sua voz apaixonada superou a qualidade da gravação primitiva e ainda consegue se comunicar facilmente com quem a ouve atualmente. Bessie Smith, a primeira grande cantora de blues e jazz, foi influência marcante nas cantoras de sua época e também de Billie Holiday e Etta James.

Seus pais morreram quando ela ainda era criança, mas incentivada por seu irmão mais velho nunca desistiu de cantar e dançar. Em 1912, Bessie se juntou a um grupo itinerante como dançarina e cantora. O show era apresentado por Ma Rainey que se tornou sua protetora. Bessie também foi uma das primeiras ativistas sexuais de sua época, bissexual como Ma Rainey que nunca escondeu sua orientação sexual foi, além de sua mentora, a sua amante. Em 1920, Bessie Smith teve seu próprio show em Atlantic City e, em 1923, ela se mudou para Nova York e fez sua estréia acompanhada pelo pianista Clarence Williams gravando ‘Gulf Coast Blues’ e ‘Down Hearted Blues’, composição de Alberta Hunter. O disco vendeu milhares de cópias rivalizando com o sucesso da cantora de blues Mamie Smith. 

Bessie Smith era popular entre os brancos e negros e foi a artista da indústria fonográfica mais bem paga durante a década. Foi realmente um fenômeno. No entanto, em 1929 o blues entrou em declínio e a carreira de Bessie Smith também, mas ela continuou a cantar ao vivo e em 1933 gravou pela última vez sob a direção de John Hammond antes de falecer em 1937, em um acidente de carro. Na época, John Hammond causou uma grande celeuma por escrever um artigo sugerindo que Smith tinha sangrado até a morte quando socorrida e levada para um hospital que se negou a atendê-la, alegando que não atendia negros. Foi provado não ser verdade, mas o boato persiste até hoje.

A produção musical de Bessie era impressionante, com colaboradores de peso como os músicos de jazz Coleman Hawkins, Louis Armstrong e Fletcher Henderson. Sua interpretação de ‘St. Louis Blues’, com Armstrong é considerada pelos críticos como uma das melhores gravações da década de 20. 

Bessie Smith & Louis Armstrong - St. Louis Blues (1925)


'After You've Gone' é a primeira faixa do álbum 'Dinah Sings Bessie Smith' uma homenagem de Dinah Washington à Bessie Smith.

Sax barítono – Charles Davis 
Sax tenor – Chamblee
Piano – Jack Wilson 
Trompete – Fortunatus "Fip" Ricard
Trombone – Julian Priester 
Baixo – Robert Lee "Rail" Wilson
Bateria – James Slaughter

Dinah Washington - After you've Gone 



Reeleitura de 'Don't Cry Baby' da primeira grande cantora de blues e jazz Bessie Smith por Aretha Franklin.

Aretha Franklin - Don't Cry Baby

Nenhum comentário:

Postar um comentário