quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Tom Jobim

(Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1927)


Tom Jobim pensou em trabalhar como arquiteto, mas desistiu e resolveu ser pianista. No início dos anos 50, tocava em bares e inferninhos em Copacabana até que foi contratado como arranjador. Por essa época começou a escrever suas primeiras composições. As primeiras gravadas foram: ‘Incerteza' e 'Tereza da Praia’, esta última parceria com Billy Blanco e gravada por Lúcio Alves e Dick Farney, foi o primeiro sucesso. Fez parte do núcleo embrionário da bossa nova. O disco ‘Canção do Amor Demais’ de 1958, de composições de Tom e Vinicius, cantadas por Elizeth Cardoso e acompanhadas, em algumas faixas, pelo violão de João Gilberto é considerado um marco inaugural da bossa nova. A concretização da bossa nova como estilo musical veio logo em seguida com ‘Chega de Saudade’, de João Gilberto, lançado em 1959, com arranjos e direção musical de Tom, consolidando os rumos da bossa nova. 

Foi destaques do Festival de Bossa Nova do Carnegie Hall, em Nova York em 1962. No ano seguinte compôs, com Vinicius, um de seus maiores sucessos e possivelmente a música brasileira mais executada no exterior: ‘Garota de Ipanema’. No fim dos anos 60, ganhou o primeiro lugar no III Festival Internacional da Canção da TV Globo com ‘Sabiá’, parceria com Chico Buarque. A canção conquistou o júri, mas não o público, que vaiou ostensivamente a música diante dos constrangidos compositores. Tom era impressionante. O sucesso de suas músicas fora do Brasil o fez voltar aos EUA em 1967 para gravar com um dos grandes mitos americanos, Frank Sinatra. Tom Jobim gravou e compôs músicas vocais e instrumentais de rara inspiração, juntando harmonias do jazz e elementos tipicamente brasileiros, fruto de suas pesquisas sobre a cultura brasileira. Tom Jobim tem sido descrito como o Gershwin da música brasileira, que é um título adequado para um homem que contribuiu com tantas canções originais para o repertório de jazz, adicionando algumas normas ao longo do caminho. Tom Jobim é um dos nomes que melhor representam a música brasileira na segunda metade do século XX. Quando se pensa em qualidade e sofisticação musical, Tom Jobim é quase unanimidade.

Show gravado em Montreal, Canadá, em 1986, no Festival Internacional de Jazz da cidade canadense

Piano, Vocal – Antonio Carlos Jobim
Vocal – Ana Jobim, Elizabeth Jobim, Maucha Adnet, Paula Morelenbaum, Simone Caymmi
Guitarra – Paulo Jobim
Flauta - Danilo Caymmi 
Baixo – Tião Neto
Cello – Jaques Morelenbaum
Bateria – Paulo Braga

Tom Jobim - Falando de amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário